Avós também amam!

terceira_idade_amor1A atividade sexual não deve ser interrompida com a chegada da terceira idade (considerada a partir dos 60 anos). Estudos revelam que a prática beneficia corpo e mente em qualquer fase da vida. Porém, como o sexo ainda é um assunto dominado por tabus e preconceitos, há idosos que se privam deste prazer por vergonha ou falta de estímulo do parceiro. Fazer sexo é sinônimo de uma terceira idade saudável e estimulante.
Para quem não sabe, a atividade sexual fortalece o sistema imunológico (previne doenças) e a circulação sanguínea, alivia dores, faz bem ao coração, tonifica a pele e eleva a autoestima. Além disso, combate a depressão, insônia, ansiedade e envelhecimento. Estudos do Hospital Royal Edinburgh, na Escócia, afirmam que quem costuma fazer sexo em média quatro vezes por semana aparenta entre 7 a 12 anos mais jovem. Pesquisas no mundo inteiro já atestaram que desejo não acaba com o avanço da idade.
Ter mais de 60 anos não é desculpa para não aderir a certos recursos descolados para apimentar o sexo e animar a vida do casal. A imaginação do parceiro ganha um estímulo se a companheira presenteá-lo com um álbum de fotos sensuais, por exemplo. Há estúdios que fazem este trabalho com muita descrição e bom gosto. Praticar esportes ou atividades de lazer aproxima as pessoas. Aulas de dança de salão ajudam a queimar calorias e aumenta o contato físico. Há também empresas de turismo especializadas em grupos da “melhor idade”.
A camisinha, por exemplo, não é um artigo exclusivo dos mais jovens, pelo contrário. A cabeça ativa e o corpo em movimento são primordiais para uma atividade sexual satisfatória. Se a casa estiver vazia, sem os filhos e a sensação do “ninho abandonado” abater, não se pode deixar desanimar. O importante é encontrar um caminho onde a afetividade e o prazer – direito de qualquer casal -, sejam sempre presentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *